skip to Main Content
Tela de marketplace de alimentos aberta no celular.

Marketplace de alimentos: o que é e em quais atuar?

Entre tantas categorias e nichos para atuar virtualmente, os marketplaces de alimentos têm sido uma das grandes apostas para muitos sellers que atuam nos canais de vendas. Isso porque, durante a pandemia, a venda de itens comestíveis online cresceu 900%, segundo a CNN Brasil. 

Mesmo agora, que os números de casos de Covid-19 caíram e que as medidas de isolamento foram flexibilizadas, é esperado que muitas pessoas continuem realizando suas compras de mercado online.  

Afinal, se você pode contar com essa facilidade, por que sair de casa, enfrentar trânsito e gastar tempo entre as prateleiras e as filas quando você pode simplesmente otimizar o processo com poucos cliques no celular? 

Justamente por isso, acredita-se que os marketplaces para alimentos (ou que possuem categorias focadas nestes produtos) são grandes tendências no mercado para os próximos anos. 

Pensando nisso, separamos dicas para vender comidas online, quais as vantagens desta ação e exemplos de bons canais para atuar. Basta continuar a leitura! 

Clique e faça download do ebook do Koncili sobre SEO para e-commerce de forma gratuita.O que são marketplaces de comida? 

São plataformas virtuais que permitem a venda de produtos alimentícios, sejam eles refeições prontas ou itens para sua casa, como pães, manteiga, arroz, carnes, frutas etc.  

Esses canais podem ser 100% focados na área de atuação (os chamados marketplaces de nicho) ou abertos a vários tipos de produtos. No segundo caso, a venda de alimentos acontece por categorias segmentadas. 

No Mercado Livre, por exemplo, existem seções focadas em bebidas, em comidas preparadas, em congelados, em mercearia e muito mais. Ao acessar a página inicial do site, é possível visualizar, no menu superior, a guia “supermercado”, que reúne todos esses produtos. 

Entregador da Uber Eats pedalando bicicleta pelas ruas.
A Uber Eats é uma das possibilidades de marketplace de alimentos para atuar.

Outros canais, como iFood, Rappi e Uber Eats, são exemplos de marketplaces de alimentos focados completamente neste nicho. 

Quem pode vender nos marketplaces de alimentos? 

Depende muito do canal de vendas. Alguns são específicos apenas para restaurantes e outros apenas para supermercados, mercearias, padarias e outros comércios alimentícios. Há, ainda, opções que integram ambos. 

A dica, portanto, é pesquisar os marketplaces que você deseja operar para ter certeza que há oportunidade de negócio para sua marca. 

Como vender nesses canais? 

O mercado de alimentação, assim como a maioria dos segmentos, possui regras e legislações próprias, que devem ser seguidas para que sua empresa esteja atuando de forma juridicamente correta. 

Além disso, existem outras dicas que podem ajudar na hora de vender online, de forma que você tenha sucesso. Confira as principais delas! 

Esteja alinhado às regras de segurança alimentar 

A segurança alimentar é o conjunto de práticas focado em oferecer, aos consumidores, produtos em condições ideias para que elas consumam sem riscos à saúde. No Brasil, as normas para produção e armazenamento de comidas são regulamentadas pela Anvisa. 

Cozinheiro passando massa de macarrão no rolo.
Para que sua empresa de alimentos funcione sem problemas, precisa estar alinhada às obrigações legais.

Tanto alimentos industrializados quanto aqueles de fabricação própria podem ser vendidos online, desde que estejam devidamente alinhados às normas estabelecidas pela Anvisa. 

Cuide da embalagem 

A embalagem é um fator extremamente estratégico na hora de comercializar alimentos no marketplace. No que tange à sua empresa, é nela que você encontrará as condições ideias de armazenamento para que o produto não estrague ou seja danificado. 

Já no que diz respeito ao consumidor, a embalagem precisa ser bem pensada para que o produto chegue inteiro e em boas situações até as mãos dos clientes. Afinal, ninguém quer comer um item amassado. 

Fique atento à temperatura 

A temperatura é, provavelmente, o cuidado mais importante no armazenamento de alimentos. Dependendo do tipo de comida, calor e frio podem ser nocivos. Portanto, é preciso estudar seu tipo de produto e as melhores práticas de conversação, para que ele fique no estoque sem estragar. O mesmo vale, inclusive, na hora do envio do item. 

Prateleiras de supermercado repletas de produtos.
Não é à toa que supermercados são bem refrigerados: a temperatura é parte integral para armazenamento dos alimentos.

A melhor maneira de descobrir qual a temperatura ideal para o alimento é, novamente, checando sua embalagem. Ela aponta as melhores práticas no rótulo. 

Mantenha a higiene 

Não basta apenas manter os produtos limpos, é preciso cuidar das estantes e das geladeiras. Lembre-se que trabalhar com alimentos significa ter a higiene como um dos principais valores da sua empresa! 

Para os produtos e para os armários, pano com álcool é suficiente para a limpeza. Já as geladeiras devem ser limpas com artigos específicos, sem aromas fortes e que sejam fáceis de serem removidos (sabões que fazem muita espuma, por exemplo, podem atrapalhar o armazenamento dos alimentos). 

Ter um estoque ventilado e sem incidência direta do sol também são práticas que auxiliam na hora de manter os produtos bem organizados e limpos. 

Descreva o item com as informações importantes 

É importante que o usuário saiba o que está comprando, principalmente no caso de alimentos, visto que ele fará a ingestão dos itens. Por isso, crie descrições completas e detalhadas, que forneçam ao usuário o que ele precisa saber. 

Notebook aberto, com papel, caneta e celular ao redor, em cima da mesa.
Realizar boas descrições é uma forma, ainda, de trabalhar o SEO no marketplace.

Apresente os ingredientes, insira a data de fabricação e a de validade, informe o peso e, em casos de caixas de alimentos, quantos produtos vem no pacote. Outra atenção interessante é informar restrições para alérgicos (por exemplo, “contém lactose” ou “contém glúten”). 

Por fim, também tire boas fotos dos alimentos. Ao contrário das lojas físicas, nas quais a pessoa pode pegar o produto nas mãos, nos marketplaces as imagens são a principal maneira de atrair (e de afastar) seu cliente. 

Quais as vantagens de atuar nos marketplaces de alimentos? 

Existem diversas vantagens em vender alimentos nos marketplaces do segmento. Confira as principais delas: 

Foco em um nicho de mercado 

Os marketplaces focados em alimentos atraem justamente quem está buscando por esse tipo de produto, o que aumenta consideravelmente as chances de conversão. 

Clique e baixe o kit de precificação para marketplaces gratuitamente.Baixo custo de adesão 

Os marketplaces de alimentos possuem a vantagem de já estarem posicionados na internet. Dessa forma, você não precisa lançar sua empresa online do zero. Além disso, muitas marcas auxiliam no processo de pagamento e de envio, o que facilita a operação. 

Para tanto, é preciso repassar uma parte do valor das vendas para as plataformas. O que, ainda assim, tende a ser mais lucrativo que lançar um site de alimentos e trabalhar as estratégias para que ele cresça. 

Mais visibilidade 

Existem grandes marcas que permitem a comercialização de alimentos atualmente, de forma que você pode utilizar a visibilidade dessas empresas a favor do seu negócio. Assim, mais pessoas acessam seus produtos. 

Quais alimentos podem ser vendidos? 

Para te ajudar a entender o que pode ser comercializado nos marketplaces de alimentos, separamos uma lista de quais produtos podem ser vendidos: 

  • Arroz 
  • Azeites 
  • Biscoitos 
  • Bolos 
  • Carnes 
  • Cereais 
  • Cervejas 
  • Chás 
  • Chocolates 
  • Comidas japonesa 
  • Doces 
  • Farinhas 
  • Frutas 
  • Geleias 
  • Lanches 
  • Legumes 
  • Macarrões 
  • Marmitas 
  • Molhos 
  • Pães 
  • Pizzas 
  • Polpa de frutas 
  • Refrigerantes 
  • Sementes 
  • Snacks 
  • Vinagres 
  • E muito mais! 

Exemplos de marketplaces de comidas 

Reunimos, também, uma lista de marketplaces de alimentos para que você possa operar. Na lista, você encontra canais que vendem apenas comidas e outros que possuem categorias focadas nesses produtos. 

  • Aiqfome  
  • Amazon  
  • Americanas Marketplace  
  • Carrefour  
  • Extra  
  • Grupo Pão de Açúcar (GPA) 
  • iFood  
  • Magalu  
  • Mercado Livre  
  • Rappi  
  • Uber Eats 

Encontrar quais canais serão seu foco de atuação é fundamental para ter bons resultados nos marketplaces de alimentos, com direito a alto número de vendas! 

Agora que você já compreendeu mais sobre esses canais de vendas, continue se capacitando sobre marketplaces! O Koncili preparou um material gratuito sobre como operar na internet com saúde financeira. Clique na imagem abaixo e faça o download! 

Clique e baixe o ebook sobre como vender em marketplaces com saúde financeira gratuitamente.

Back To Top
Abrir o Chat!
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?